Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nevoeiro
18.9 ° C
18.9 °
17.9 °
77 %
3.1kmh
40 %
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
16 °
Dom
20 °
Seg
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Política Governo quer quadros qualificados ao serviço da população e da construção da...

      Governo quer quadros qualificados ao serviço da população e da construção da pátria

      Esse é o grande desejo da DSEDJ para este e para os próximos anos lectivos em Macau. Para isso, faz notar aquela entidade, à disponibilidade da população estão 10 instituições de ensino superior e 77 escolas com 120 unidades escolares, o que beneficia 75 mil alunos no sistema de escolaridade gratuita.

      No ano lectivo de 2021/2022, a Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ) continuará a cooperar com as instituições de ensino e com os encarregados de educação para proporcionar aos estudantes um ambiente de aprendizagem seguro e de excelência, reforçando a educação criativa e esforçando-se para permitir que os alunos procedam à transmissão da história e da cultura, cultivem o seu sentimento de amor à pátria, desenvolvam o seu ‘soft power’ e elevem o seu bem-estar, tornando-se quadros qualificados ao serviço da população e da construção da pátria. Esta é a grande conclusão plasmada no relatório das medidas relativas aos trabalhos das áreas da Educação e Juventude do ano lectivo de 2021/2022, tornado público ontem.

      De acordo com os dados estatísticos da DSEDJ, em Macau existem, este ano lectivo, 10 instituições de ensino superior e 77 escolas com 120 unidades escolares (da educação regular ou do ensino recorrente). Entre estas, 112 unidades pertencem à educação regular e 107 estão integradas no sistema escolar de escolaridade gratuita, possuindo uma taxa de cobertura de 95,5% e beneficiando cerca de 75 mil alunos.

      A DSEDJ, assume em comunicado de imprensa, tem a intenção de, com base as Linhas de Acção Governativa do Governo da RAEM, calcorrear os rumos de desenvolvimento das “Linhas Gerais do Desenvolvimento a Médio e Longo Prazo do Ensino Superior de Macau (2021-2030)”, o “Planeamento a Médio e Longo Prazo do Ensino Não Superior (2021-2030)” e a “Política de Juventude de Macau (2021-2030)”. Por isso, assegura a entidade governamental, realizará vários trabalhos para promover o desenvolvimento do ensino superior, do ensino não superior e da juventude, formando mais quadros qualificados de excelência, para Macau.

      Considerando a experiência do ano passado, a DSEDJ recolheu os planos preparatórios do início do novo ano lectivo das instituições de ensino superior e das escolas, contendo nomeadamente as medidas sanitárias e de prevenção de epidemias que as mesmas vão tomar, a gestão da concentração de pessoas, a manutenção do normal funcionamento dos cursos e do ensino, bem como a informação mais actualizada de planos de contingência ou medidas especiais, entre outros aspectos relacionados com a estruturação pedagógica e a gestão dos alunos face às mudanças epidémicas.

      O Governo da RAEM decidiu-se pela redução da idade de inoculação com a vacina mRNA para 12 anos. A DSEDJ, em articulação com os Serviços de Saúde, reforçará a divulgação junto dos encarregados de educação, docentes, não docentes e alunos, e incentivará os alunos em idade adequada, bem como os docentes e não docentes que satisfaçam as condições necessárias a submeterem-se à vacinação o mais cedo possível, revelou a entidade.

      Em articulação com as Leis sobre a Bandeira Nacional e o Hino Nacional, a DSEDJ enviou ofícios às instituições alertando para as disposições das referidas leis, relembrando que devem atentar especialmente às disposições relativas aos locais e aos dias em que a bandeira da China deve ser exibida ou hasteada, bem como às horas do içar e do arriar, às diversas cerimónias, às ocasiões em que o hino nacional deve ser executado instrumental e vocalmente, à partitura-modelo a utilizar na sua execução instrumental ou à versão oficial da gravação, assim como à exibição simultânea e ao hastear simultâneo das bandeiras nacional e regional.

       

      História e cultura da etiqueta chinesa

      A implementação da disciplina obrigatória e independente de “História” será estendida ao 2.º ano do ensino secundário geral e do ensino secundário complementar, com vista a cultivar profundamente o sentimento de amor à pátria dos alunos. A educação escolar dos alunos também passará pela transmissão da cultura de etiqueta chinesa e planeamento da carreira. Cultivar o sentimento de amor à pátria e atender ao desenvolvimento físico e mental também está nos planos da DSEDJ. Com a “Política de Juventude de Macau (2021-2030)” o intervalo de idades dos indivíduos considerados jovens, que anteriormente era dos 13 aos 29 anos, passou a ser dos 13 aos 35 anos, visando as diferentes necessidades dos mais jovens, e definiu a cultura do sentimento patriótico dos jovens como um dos rumos a seguir. Em 2021, na sequência da coordenação entre os diversos serviços do grupo de acompanhamento interdepartamental, 22 serviços públicos e instituições de ensino superior vão lançar mais de 400 planos de acção, com vista a fornecerem um apoio mais abrangente e eficaz à execução eficaz da Política de Juventude.

      A DSEDJ solicitou às escolas que, em articulação com o “Dia Nacional da Constituição”, passem a definir, no seu calendário, um período destinado à realização da “Semana de divulgação jurídica”, com o objectivo de desenvolverem e promoverem, segundo o ponto de vista da própria escola, a participação dos alunos nas actividades de divulgação jurídica, reforçarem os conhecimentos deles neste âmbito e cultivarem o espírito do Estado de Direito.

      O Governo de Macau continuará a incentivar o apoio às instituições do ensino superior de Macau no reforço da sua cooperação com as instituições de ensino superior, empresas e instituições de investigação científica da Grande Baía, bem como na exploração de mais projectos em âmbitos como investigação pedagógica na área da ciência e tecnologia, e intercâmbio de quadros qualificados. Apoiará, também, a formação de quadros bilingues em chinês e português, a formação educativa na área do Turismo, na Grande Baía, e as alianças entre as instituições de ensino superior de Guangdong, Hong Kong e Macau, ou de outras regiões, criadas pelas instituições de ensino superior de Macau ou em que estas participam.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau