Edição do dia

Quinta-feira, 22 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
neblina
21.5 ° C
23.9 °
20.9 °
100 %
3.1kmh
40 %
Qui
23 °
Sex
21 °
Sáb
20 °
Dom
21 °
Seg
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Política Vítor Cheung Lup Kwan foi o deputado menos assíduo da AL

      Vítor Cheung Lup Kwan foi o deputado menos assíduo da AL

      Das 35 reuniões plenárias da Assembleia Legislativa (AL) ao longo da última sessão legislativa, Vítor Cheung Lup Kwan esteve presente apenas em 16. Além disso, o deputado faz parte da 3.ª Comissão Permanente da AL e, das 38 reuniões da comissão, Vítor Kwan esteve presente apenas em uma. Vítor Kwan também nunca quis fazer intervenções no hemiciclo nem quis interpelar o Governo. Vong Hin Fai também nunca apresentou nenhuma intervenção antes da ordem do dia nem dirigiu nenhuma interpelação ao Governo. Chan Chak Mo apresentou uma única intervenção antes da ordem do dia, para criticar a ala democrata.

      A Assembleia Legislativa (AL) divulgou o relatório sobre os trabalhos da última sessão legislativa. O documento, que contabiliza as presenças dos deputados nas reuniões, mostra que Vítor Cheung Lup Kwan foi o deputado menos assíduo. Das 35 reuniões plenárias, Vítor Kwan só esteve presente em 16. Das 38 reuniões da 3.ª Comissão Permanente, da qual faz parte, só esteve presente em uma. E das seis reuniões da Comissão de Acompanhamento para os Assuntos da Administração Pública, da qual também faz parte, Vítor Kwan não esteve presente em nenhuma.

      O número de ausências de Vítor Kwan supera em larga margem o dos outros deputados. Si Ka Lon foi o segundo mais ausente, tendo participado em 31 plenários, seguindo-se Pang Chuan, Angela Leong e Chui Sai Peng, cada um com 32 presenças em plenários. Na ala democrata, por exemplo, Sulu Sou, Ng Kuok Cheong e Au Kam San estiveram presentes nos 35 plenários.

      Vítor Kwan não só foi o mais ausente como esteve entre os menos interventivos. Em nenhuma das 16 reuniões plenárias em que participou o deputado quis apresentar intervenções antes da ordem do dia. Além disso, o deputado eleito em 2017 pela via indirecta também nunca apresentou interpelações orais ou escritas.

      Igual registo teve Vong Hin Fai, que também apresentou zero intervenções antes da ordem do dia, zero interpelações escritas e zero interpelações orais. Vong Hin Fai recandidata-se este ano, através das eleições indirectas, pelo sector profissional. Chan Chak Mo, que este ano também se recandidata pela via indirecta, pelo sector cultural e desportivo, não apresentou interpelações orais nem escritas. No plenário, teve uma única intervenção antes da ordem do dia. Em meados de Julho, fez questão de intervir para criticar a ala democrata por ter organizado eventos em memória das vítimas do massacre de Tiananmen, a 4 de Junho, insistindo no pedido para que sejam “patriotas” a governar Macau.

      Sulu Sou, Leong Sun Iok, Ella lei, Mak Soi Kun, Au Kam San, Ng Kuok Cheong e Ho Ion Sang foram aqueles que mais apresentaram intervenções antes da ordem do dia, com 15 cada um. No total, Sulu Sou apresentou 48 interpelações escritas, tal como Wong Kit Cheng, Si Ka Lon, Mak Soi Kun e Ho Ion Sang.

      A quarta sessão legislativa da VI legislatura da AL teve início a 16 de Outubro de 2020 e termina a 15 de Outubro deste ano. Nos 35 plenários realizados ao longo da última sessão foram aprovadas 22 propostas de lei. Houve também duas iniciativas legislativas dos deputados que chegaram a ser discutidas, uma sobre a Lei Sindical e outra sobre a lei das audições da AL. Ambas chumbadas.

      Nesta sessão legislativa, também se discutiram 19 pedidos de debate sobre questões de interesse público apresentados por deputados. Contudo, nenhum foi aprovado.