Edição do dia

Segunda-feira, 26 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
13.9 ° C
15.9 °
13.9 °
72 %
5.7kmh
40 %
Dom
16 °
Seg
19 °
Ter
20 °
Qua
20 °
Qui
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Membro do agregado familiar infectado com SARS-CoV-2 com resultado negativo

      Membro do agregado familiar infectado com SARS-CoV-2 com resultado negativo

      Agora seguem-se 21 dias de quarentena no Alto de Coloane, em observação médica. Os Serviços de Saúde voltam a apelar à vacinação que, sendo voluntária, consideram ser um “dever e um acto de responsabilidade”. Na mesma conferência de imprensa, a Direcção dos Serviços de Educação e Desenvolvimento da Juventude revelou que cerca de 10 mil alunos e professores já efectuaram o obrigatório teste de ácido nucleico para o regresso às aulas do novo ano lectivo. Em relação aos profissionais de saúde foi revelado que cerca de 70% já foram inoculados com as duas doses da vacina.

      Um dos membros da família de quatro membros com Covid-19 recebeu alta de cuidados médicos e passou a observação médica, revelaram, ontem, os Serviços de Saúde na sua habitual conferência de saúde. “Trata-se da filha da família confirmada com Covid-19 no início deste mês”, confirmou o médico e coordenador do Plano de Vacinação da RAEM, Tai Wai Hou, aos jornalistas.

      A menina, estudante local de 12 anos – que se acredita ser o foco de infecção por SARS-CoV-2 após uma viagem escolar a Xi’an – deu negativo em dois testes consecutivos na sexta-feira passada e está actualmente em observação médica no Centro de Reabilitação de Doenças Infecciosas localizado no Alto de Coloane para quarentena antes de ser autorizada a deslocar-se na comunidade.

      Na mesma conferência de imprensa, a Direcção dos Serviços de Educação e Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ) revelou que cerca de 10 mil alunos e professores já efectuaram o obrigatório teste de ácido nucleico que marca o regresso às aulas deste novo ano lectivo. Em declarações aos jornalistas, o chefe do departamento do Ensino Não Superior, Wong Ka Ki, também afirmou que já se inscreveram para a testagem 11 mil pessoas. “Mais de 80% dos inscritos já realizaram o teste, que pode ser consultado no código de saúde”, relembrou o responsável.

      Os Serviços de Saúde foram também instados a comentar a preparação das eleições para Assembleia Legislativa. Em resposta aos jornalistas, que questionaram que medidas contra a pandemia estão a ser aventadas, a coordenadora do Núcleo de Prevenção e Vigilância da Doença, Leong Iek Hou, considerou que “detalhes e mais pormenores terá de ser a Comissão de Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa (CAEAL) a divulgar”. “Os Serviços de Saúde e a CAEAL têm mantido o contacto. Há directrizes que serão divulgadas assim que for possível, não vou entrar em pormenores”, explicou a médica.

       

      “Não obrigamos, apenas incentivamos”

      Os responsáveis voltaram a apelar à vacinação, relembrando que o acto é de responsabilidade e dever individual. Tai Wai Hou foi mais longe quando revelou que cerca de 70% dos profissionais de saúde já foram inoculados com as duas doses da vacina contra a Covid-19. “Os profissionais de saúde têm o dever de promover a vacinação, incentivando-a. Se todos os cidadãos têm essa responsabilidade e dever, na saúde, a responsabilidade é ainda maior”, disse o médico em jeito de crítica a alguns dos seus colegas que ainda não estão vacinados, apesar de considerar a percentagem uma boa notícia.

      Em Macau, na verdade, pouco mais de 274 mil pessoas estão totalmente vacinadas contra Covid-19 no território que terá, actualmente, cerca de 650 mil habitantes. Dados relativos ao dia de ontem mostram ainda que foram administradas até ao momento 598.356 doses de vacinas contra a Covid-19. 326.165 pessoas foram inoculadas, sendo que a primeira dose já foi administrada a 52.056 indivíduos e 274.109 pessoas estão totalmente imunizadas, com duas doses da vacina.

      “Falar de imunidade de grupo não é uma questão fácil”, assumiu Tai Wai Hou. “O nosso objectivo é formar uma grande barreira imunológica comunitária. Se pudéssemos atingir 100% de taxa de vacinação era o ideal, mas isso não é fácil e pouco real, por isso o que pretendemos é que esse valor seja o mais alto possível. Não obrigamos, apenas incentivamos”, lembrou o médico.

      Com a velocidade a que a vacinação está a decorrer, muito dificilmente a tão desejada imunidade de grupo será atingida este ano, pelo que as restrições, o distanciamento social e o uso de máscara facial são para continuar. Recorde-se que, para além de voluntária, a vacinação pode ser feita com dois tipos de vacina: a chinesa inactivada da Sinopharm e a germânica mRNA da BioNTech.