Edição do dia

Quinta-feira, 22 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
neblina
21.5 ° C
23.9 °
20.9 °
100 %
3.1kmh
40 %
Qui
23 °
Sex
21 °
Sáb
20 °
Dom
21 °
Seg
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Lusofonia Timor-Leste regista recorde de casos diários com 532 infecções e duas mortes

      Timor-Leste regista recorde de casos diários com 532 infecções e duas mortes

      Timor Leste registou ontem um recorde de casos diários com 532 novas infecções nas últimas 24 horas, registando ainda mais dois óbitos, ambos em Díli, informaram as autoridades.

      Dados divulgados pelo Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC), confirmam que foram detectados novos casos em praticamente todos os municípios, à excepção de Aileu, com o maior número, 298, detectados em Díli e 90 detectados em Baucau. Os dois óbitos que se registaram em Díli, fizeram aumentar o total de mortos de pessoas infetadas na capital para 42, e o total nacional para 51, sendo que mais de metade número se registou só no mês de Agosto.
      Um dos mortos é uma mulher de 35 anos, não vacinada, que foi diagnosticada com síndrome de insuficiência respiratória aguda a 22 de Agosto e que faleceu ontem no centro de isolamento de Lahand. A segunda vítima mortal é um homem de 65 anos, também não vacinado, a quem foi detetado o mesmo síndrome na segunda-feira, e que faleceu no mesmo centro de isolamento.
      As autoridades realizaram nas últimas 24 horas 1.900 testes em todo o país. A taxa de incidência nacional continua a aumentar sendo agora de 21,7 por 100 mil habitantes, enquanto o município de Díli atingiu o seu valor máximo desde o início da pandemia, com 51,6 por 100 mil habitantes.
      Também durante as últimas 24 horas, as autoridades registaram 97 casos recuperados, actualmente há em todo o país 3.816 casos ativos, um novo máximo, dos quais 2.019 em Díli e 740 em Ermera, que permanece como segunda zona do país com maior número de casos.
      Os novos casos registados CICG consolidam o mês de agosto como o pior desde o início da pandemia, com as autoridades a atribuírem ao elevado número de transmissão, que abrange também pessoas já vacinadas, ao impacto da variante Delta que já é dominante na capital e em Ermera.
      Entretanto, o parlamento nacional deu ontem autorização ao presidente da República para decretar um novo período de estado de emergência de 30 dias, o 16.º desde o início da pandemia.
      O Governo timorense reúne-se em Conselho de Ministro na quarta-feira para analisar a situação epidemiológica do país e definir eventuais medidas adicionais a implementar, sendo que o próprio CICG defende a aplicação de confinamento obrigatório e várias cercas sanitárias no país. Na última semana têm aumentado os relatos sobre pessoas infectadas em várias instituições, incluído na Presidência da República, no Parlamento e no Governo.
      O ex-primeiro ministro Mari Alkatiri anunciou ontem, numa publicação na rede social Facebook, que ele próprio está infectado. O número de hospitalizações continua a aumentar, colocando uma pressão redobrada em todo o sistema de saúde, já que há dezenas de profissionais de saúde no país estão infetados, reduzindo os recursos disponíveis para responder à pandemia.
      Ao dia de ontem estão 69 pessoas nos centros de isolamento de Vera Cruz e Lahand, incluindo 20 em estado grave, quatro com ventilador, um com CPAP (máquina de pressão positiva contínua na via aérea) e 14 com oxigénio.

      Primeiro-ministro timorense pede novo período de medidas de controlo

      O primeiro-ministro timorense pediu ontem no parlamento, no debate da proposta de renovação do estado de emergência no país, um novo período de medidas restritivas devido à progressão da variante delta da covid-19. “Medidas de encerramento de fronteiras, de quarentena e isolamento de casos suspeitos, de cercas sanitárias para o isolamento de novos surtos e de condicionamento de atividades sociais, que sendo restritivas de direitos e liberdades, se justificam por serem adaptadas à realidade do país e modeladas à situação que enfrentamos no terreno, de acordo com as necessidades na linha da frente”, afirmou Taur Matan Ruak.
      O responsável lembrou que a conjuntura atual é de “renovado risco” devido à variante delta e “muito exigente” para Timor-Leste, que está “no bom caminho”, dados os níveis de vacinação, “o instrumento mais eficaz para prevenir e combater os casos mais graves” da covid-19. “Já temos mais de 48% da nossa população vacinada com a primeira dose e 21% com a segunda dose a nível nacional, e estou certo que até ao final do ano, com a vossa ajuda, poderemos atingir a tão ambicionada imunidade de grupo estimada em cerca de 80% da população”, salientou.
      O primeiro-ministro destacou que o país deve “continuar vigilante” e ao mesmo tempo “preparar a normalidade futura com um plano para a saída da pandemia, apostando na retoma da vida sociocultural e na recuperação das atividades económicas, essenciais para o emprego, para a produtividade” e para o desenvolvimento de Timor-Leste.
      Desde o início da pandemia da covid-19, Timor-Leste registou 49 mortos e 14.403 casos, de acordo com dados oficiais. As autoridades timorenses pretendem que o novo período de 30 dias de estado de emergência e o 16.º desde o início da pandemia vigore até 30 deste mês.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau