Edição do dia

Quinta-feira, 22 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
neblina
21.9 ° C
25.4 °
20.9 °
100 %
3.1kmh
75 %
Qui
23 °
Sex
21 °
Sáb
20 °
Dom
21 °
Seg
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Grande China Partido Comunista da China expulsa responsável pela censura do conteúdo ‘online’

      Partido Comunista da China expulsa responsável pela censura do conteúdo ‘online’

      O Partido Comunista da China (PCC) anunciou ontem a expulsão de um responsável pela censura do conteúdo ‘online’, acusando-o de vários crimes e infração de regras, desde corrupção até falhas em orientar a opinião pública.

      Peng Bo foi vice-chefe do Grupo de Liderança para a Prevenção e Tratamento de Cultos, órgão criado depois de o Partido lançar uma campanha para suprimir o grupo de meditação Falun Gong, cujo rápido crescimento na sociedade chinesa passou a ser visto como ameaça à sua autoridade.

      Segundo a Comissão Central de Disciplina e Inspeção do PCC, a investigação revelou que os “ideais e crenças de Peng ruíram e que ele foi desleal ao Partido, desviou-se das decisões do Comité Central sobre a gestão da opinião pública online [e] desistiu de posições assumidas sobre a gestão da Internet”. Peng também se “envolveu em atividades supersticiosas e recebeu ilegalmente grandes quantidades de propriedade”, lê-se na mesma nota. O responsável vai também ser privado de todos os salários e benefícios. O caso transitou para as autoridades judiciais.

      O anúncio público é incomum, quer pela sensibilidade da posição de Peng, quer pelas acusações de que deixou de acreditar e passou a desafiar as ordens do Partido. Estes comunicados geralmente são breves e fornecem pouca informação sobre as denúncias, quase sempre relacionadas a alguma forma de corrupção.

      A China censura fortemente a Internet e redes sociais por conteúdo que não esteja alinhado com as políticas do PCC ou que questione a versão da História e narrativa sobre acontecimentos atuais na imprensa estatal.

      Funcionários do PCC e as empresas do setor da Internet estão encarregues de orientar a opinião pública, através da exclusão de informação vista como desviante, enquanto conteúdo visto como insulto ao Partido ou à nação pode resultar em processo criminal.

      Desde que assumiu a chefia do Partido Comunista, em 2012, Xi consolidou o poder por meio de uma estratégia dupla de eliminar a dissidência e impor disciplina através da mais ampla e abrangente campanha anticorrupção na história da República Popular da China. Altos quadros das Forças Armadas ou do Partido Comunista e até funcionários aposentados receberam duras sentenças, incluindo a pena de morte.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau